Crianças com câncer necessitam de um pouco mais de conforto

NACCI- Núcleo de apoio a crianças com câncer. O blog, mantido por alunos do curso de Jornalismo do 2°semestre da Faculdade da Cidade do Salvador, tem como objetivo acadêmico e social ajudar a divulgar essa instituição.

16 junho 2006

O câncer infantil

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 200 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células, capazes de invadir estruturas próximas e, ainda, espalhar-se para diversas regiões do organismo (metástase).

Fique atento aos sinais

Descobrir a doença nas fases iniciais é fundamental para o início da cura. Por isso, os pais ou responsáveis devem sempre estar atentos aos sinais, que muitas vezes se parecem com sintomas de doenças comuns.

Ficar atento não quer dizer ficar ansioso, nem "passar o dia pensando que tudo pode ser câncer!" Até porque, se estes sintomas permanecerem, com certeza há alguma causa, que pode ser preocupante. O ideal é observar se houve mudanças de atitudes, hábitos ou disposição na criança. No caso de dúvida procure imediatamente orientação médica.

O importante é que os adultos possam identificar melhor estes sinais, para favorecer o diagnóstico precoce e aumentar em muito as chances de cura.


Principais sintomas

Estes sintomas devem ser progressivos e constantes, caso contrário não será um sinal de câncer!

Febre que não passa ou suores noturnos constantes;
Manchas roxas em lugares que a criança não tenha batido;
Dor nas pernas que fazem a criança não querer andar;
Aumento dos gânglios linfáticos, conhecidos como "íngua" ou "carocinhos", que ocorrem nas virilhas, axilas e pescoço, mesmo sem dor e que não diminuem de tamanho;
Dor e inchaço nas articulações;
Dores de cabeça, com perda de equilíbrio, acompanhadas de vômitos;
Inchaço na barriga ou edema abdominal que pode estar acompanhado de alterações nas fezes (diarréia ou parada de evacuação) ou na urina (sangue na urina);
Fraqueza, palidez, cansaço constante, falta de ar;
Perda de peso sem motivo aparente;
Mancha tipo "olho de gato" (retinoblastoma) em um ou ambos os olhos, olhos "saltados", com inchaço da pálpebra;
Dores ósseas que podem ser confundidas com dores de crescimento (geralmente a criança mostra sempre o mesmo local do osso; as dores permanecem à noite ou quando a criança está brincando);
Aumento do tamanho dos testículos, com dor ou inflamação no local.
Não esqueça!


O mais importante para uma criança é sentir-se aceita, amada e valorizada pelos seus pais, familiares e amigos, o que lhe favorece seu desenvolvimento com grande equilíbrio emocional.

Vida saudável é importante sempre!

Alimentação balanceada: procure privilegiar o equilíbrio entre frutas e vegetais frescos (de preferência crus), cereais, fibras, carnes (proteínas). O pediatra de seus filhos pode lhe indicar boas formas de combinar os alimentos necessários para uma alimentação gostosa e saudável.

Brincar, estudar e descansar: nas formas e horários adequados também são fundamentais para um crescimento sadio, além é claro da prática de exercícios regulares.

Vacinar é proteger: siga corretamente o esquema de vacinação infantil proposta pelo Ministério da Saúde, mantendo a Carteira de Vacinação de seus filhos sempre em dia. Assim você previne vários tipos de doença.

Importante

O câncer ainda registra números alarmantes, sendo no país a terceira causa de morte de crianças entre um e quatorze anos de idade.

Conscientizando os adolescentes contra o uso de fumo, drogas e álcool estaremos contribuindo para a diminuição do risco de surgimento de doenças mais graves, entre elas o câncer.

Além disso, o sexo também pode ser responsável por tumores. Não usar camisinha e se relacionar com uma grande variedade de parceiros e o início precoce da atividade sexual, aumenta a chance de exposição a vírus sexualmente transmissíveis. Entre eles se destacam o HPV relacionado ao câncer de colo de útero. Existem vários subtipos diferentes de HPV, entretanto, somente os subtipos de alto risco estão relacionados a tumores malígnos.

13 junho 2006

Campanha de arrecadação de alimentos do NACCI vai até dia 13

Devido à greve de ônibus ocorrida na semana passada, o NACCI - Núcleo de Apoio ao Combate do Câncer Infantil – resolveu prorrogar sua Campanha de Arrecadação de Alimentos Não-perecíveis. A ação, que estava prevista para acontecer até o dia 2 de junho, vai agora até o dia 13 de junho, próxima terça-feira.
De acordo com Cleiton Costa, diretor do NACCI, “a greve de ônibus prejudicou as arrecadações, já que muitas pessoas não tinham como se locomover, e o comércio ficou praticamente parado”. O objetivo da campanha é melhorar as condições de assistência às 540 crianças atendidas pelo núcleo. Até agora, 600 kg de alimentos foram doados.

A meta, porém, é de 2.000 Kg. A população de Salvador pode fazer sua doação de alimentos não-perecíveis em postos montados nos supermercados Extra Paralela e Mercantil Rodrigues, na Calçada, além da TV Bahia, da Faculdade Integrada da Bahia (FIB) e do próprio NACCI, localizado no bairro da Saúde. Nestes locais, alunos da FIB prestam informações e orientam os doadores sobre a campanha e sobre a Organização Não-Governamental (ONG). Mais informações pelo telefone (71) 3322-4198.

ENTREVISTA COM DR. JOSÉ HENRIQUE BARRETO



Segundo o doutor José Henrique Barreto, médico especializado em oncologia pediátrica (ONCO e Hospital São Rafael), a falta de informação sobre o câncer infantil ainda é um obstáculo para melhores resultados na cura dessa doença. Na sua análise, os pais têm um papel importante no aspecto prevenção, uma vez que serão eles quem primeiramente poderá detectar alguma disfunção ocorrente no organismo da criança.

O procedimento que José Henrique aconselha é antecipar aquela visita periódica ao pediatra e contar-lhe o que está acontecendo. Aliás, esta dica valerá para qualquer tipo de doença. Caso a criança esteja desenvolvendo algum sintoma sugestivo de câncer, o médico pediatra deverá esclarecer os pais e orientá-los para que procurem um especialista.

A realidade no Brasil, principalmente no Nordeste, não segue essa ordem. Sem conhecimento do problema, muitos pais trazem suas crianças ao oncologista sem sequer desconfiarem que elas têm a doença. Decorrente disso, muitos tumores já chegam em estado avançado.

As pessoas não sabem, por exemplo, que as crianças respondem ao tratamento de câncer melhor que os adultos e as perspectivas de reabilitação para elas são maiores. Existe uma média de 70% de cura nos casos. Este percentual corresponde seguramente aos casos diagnosticados precocemente. Por outro lado, caem para 45% as chances de cura no tratamento de crianças em estado adiantado da doença. Quando submetidas ao tratamento no estágio inicial, as crianças enfrentam procedimentos e tratamentos menos agressivos, aumentando as chances de cura e reduzindo bastante as seqüelas.

José Henrique lista alguns sintomas que podem sinalizar o câncer infantil e adverte os pais e a escola para que prestem atenção em cada um deles: febre sem motivo aparente, dor de cabeça, vômito, diarréia crônica, perda de peso, falta de apetite, irritabilidade e dificuldade de concentração; além de sangramentos, manchas roxas e pintas vermelhas pelo corpo.

O oncologista finaliza dizendo que quanto maior for a assistência prestada à criança com câncer, maior será também a possibilidade de cura. "É importante que o paciente esteja cercado de carinho e respeito, embora exista a ameaça do preconceito. Às vezes, a rejeição à criança doente começa na própria família. Mais uma vez a falta de informação é prejudicial", conclui.

Doação de alimentos

Devido à greve de ônibus ocorrida na semana passada, o NACCI - Núcleo de Apoio ao Combate do Câncer Infantil – resolveu prorrogar sua Campanha de Arrecadação de Alimentos Não-perecíveis. A ação, que estava prevista para acontecer até o dia 2 de junho, vai agora até o dia 13 de junho, próxima terça-feira.
De acordo com Cleiton Costa, diretor do NACCI, “a greve de ônibus prejudicou as arrecadações, já que muitas pessoas não tinham como se locomover, e o comércio ficou praticamente parado”. O objetivo da campanha é melhorar as condições de assistência às 540 crianças atendidas pelo núcleo. Até agora, 600 kg de alimentos foram doados.

A meta, porém, é de 2.000 Kg. A população de Salvador pode fazer sua doação de alimentos não-perecíveis em postos montados nos supermercados Extra Paralela e Mercantil Rodrigues, na Calçada, além da TV Bahia, da Faculdade Integrada da Bahia (FIB) e do próprio NACCI, localizado no bairro da Saúde. Nestes locais, alunos da FIB prestam informações e orientam os doadores sobre a campanha e sobre a Organização Não-Governamental (ONG). Mais informações pelo telefone (71) 3322-4198.

11 abril 2006

A esperança viva




Nunca desista de nada, em sua vida, por mais dificil que seja.
seja forte em todos os momentos dificies de sua vida.
So Jesus Cristo pode te ajudar confia nele que dará certo.
(Aline Mattos)

Meu nome é Esperança...

Sorrio para você desde a sua entrada na vida...
Sigo-lhe os passos e não o deixo senão nos mundos onde se realizam as
promessas de felicidade, incessantemente murmuradas aos seus ouvidos.

Sou sua fiel amiga. Não repila minhas inspirações...
Eu sou a Esperança.

Sou eu que canto através do rouxinol e que solto aos ecos das florestas
essas notas lamentosas e cadenciadas que lhe fazem sonhar com o Céu...

Sou eu que inspiro à andorinha o desejo de aquecer seus amores no abrigo seguro da sua morada...

Brinco na brisa ligeira que acaricia os seus cabelos e espalho aos seus pés o suave perfume das flores dos canteiros... e você quase não pensa nessa amiga tão devotada!

Não me despreze: sou a Esperança!

Tomo todas as formas para me aproximar de você...

Sou a estrela que brilha no azul e o quente raio de sol que o vivifica...

Embalo as suas noites com sonhos ridentes e expulso para longe as negras preocupações e os pensamentos sombrios.

Guio seus passos para o caminho
da virtude e o acompanho nas visitas aos pobres, aos aflitos,

aos moribundos e lhe inspiro palavras afetuosas e consoladoras.

Não me esqueça...
Eu sou a Esperança!

Sou eu que, no inverno, faço crescer, na casca dos carvalhos,

o musgo espesso com que os passarinhos fazem seus ninhos.

Sou eu que, na primavera, corôo a macieira e o pessegueiro de flores
rosas e brancas e as espalho sobre a terra como um sopro celeste,
que o faz aspirar a mundos mais felizes.

Estou com você, principalmente quando é pobre e sofredor,
e minha voz ressoa incessantemente
aos seus ouvidos.

Não me despreze...
Eu sou a Esperança.

Não me repila, porque o anjo do desespero faz guerra encarniçada e se
esforça para, junto de você, tomar o meu lugar.

Nem sempre sou a mais forte.
E quando o desespero consegue me
afastar, envolve-o com suas asas fúnebres, desvia os seus pensamentos
de Deus e o conduz ao suicídio.

Una-se a mim para afastar sua desastrosa influência e deixe-se embalar docemente em meus braços...

Porque eu sou a Esperança...

Um dia, um Homem Sublime abandonou, por algum tempo,
um jardim de estrelas para nascer na Terra e depositar nas
almas as gemas preciosas da Esperança...

E, nestes dias de inquietação e desassossego, ele continua sendo a
esperança que reergue os espíritos e a paz que penetra os corações.

Ainda hoje, o Mestre de Nazaré é a grande esperança que se torna realidade.

(Desconheço o Autor)

05 abril 2006

A instituição



O Núcleo de Apoio ao Combate do Câncer Infantil é uma entidade beneficente fundada em 27 de outubro de 1994 em Salvador-Ba, com o intuito de prestar serviços de apoio ao tratamento do câncer em crianças, e até mesmo adolescentes, carentes do Estado da Bahia, principalmente do interior.

A instituição, além de abrigar e alimentar as crianças debilitadas com a doença que vêm do interior, é um local de apoio para os seus tratamentos. Para aquelas famílias que não dispõem de recursos para acompanhar o tratamento dos filhos são distribuídas cestas básicas. A entidade atende também às necessidades de transporte entre as cidades de procedência e Salvador - local do tratamento, assim como transportes do hospital para a entidade. Para um acompanhamento emocional, o Nacci desenvolve oficinas educativas e técnicas, além de um apoio psicológico para o assistido e seu acompanhante.

O Nacci acredita na profissionalização da filantropia. Acredita na profissionalização das entidades e das relações com a comunidade onde atua. Para tanto ela entender ser de extrema importância a transparência de sua administração e o esforço de trabalhar também trazendo benefícios para quem a ajuda: as empresas, os voluntários, os doadores. O Nacci percebe a importância da sua pró-atividade na conquista de um espaço entre as grandes entidades e para isso ela vem investindo muito no respeito e na confiança para com a sociedade. Ela tem uma visão de um futuro, onde somente as entidade profissionalizadas, com foco nos serviços que se propõe a prestar, nos colaboradores que com ela compram a causa, e na informação como diferencial, poderão sobreviver para continuar beneficiando seus assistidos. Percebendo as transformações ao seu redor, o Nacci pretende continuar crescendo e ajudando seus assistidos. Muito mais que isso, ela pretende ser excelência em sua missão: criança com vida.

Criança com vida!



A sua solidariedade torna o NACCI ainda mais feliz, pois juntos daremos condições de um tratamento mais digno às nossas crianças.

endereço:
Rua do Alvo No. 45, Saúde, Cep. 40.045-180
Salvador - Bahia - Brasil
Telefones: (71) 322-4198 e (71) 326-9313
E-mail: nacci@ieg.com.br

Missão

Garantir às crianças portadoras de câncer da Bahia a atenção e o apoio necessários para a continuidade do tratamento até a sua cura, promovendo o bem-estar, lazer, cultura, educação e alegria.


Valores

Respeito, amor e dedicação
Seriedade, idoneidade e credibilidade da gestão
Qualidade na prestação dos serviços
Valorização dos "parceiros" (doadores)/voluntários/funcionários
Não haver limite de idades para crianças receberem o apoio da entidade. Ela se propõe a atender desde recém-nascidos até adolescentes.
Importância da profissionalização e da orientação dos funcionários e voluntários para a execução dos serviços


Obetivos

Contribuir para o aumento das expectativas de vida das crianças com câncer na Bahia, garantindo o direito à saúde, maior conforto, atendimento de qualidade e bem estar social.
Melhorar serviços educacionais à criança e ao acompanhante, assim como investir em oficinas para o segundo.
Ser porta-vozes reconhecidos das necessidades e interesses das crianças com câncer
Atender com qualidade às necessidades das crianças baianas, englobando principalmente as áreas psicossocial, pedagógica, recreativa, etc.
Garantir maior qualidade de vida e dignidade às crianças e suas famílias
Ser sinônimo de atendimento à criança com câncer

19 fevereiro 2006

Câncer nas crianças


Há 50 anos, o diagnóstico de câncer nas crianças era encarado quase como uma sentença de morte. Pouco se sabia sobre a doença e sua evolução na infância. As crianças recebiam o mesmo tratamento do que os adultos, embora suas características biológicas e orgânicas fossem diferentes, e não se levava em conta que eram seres em crescimento e respondiam mal ao tratamento.
Foi só a partir da segunda metade da década de 1960, início dos anos 1970, que os pediatras interessados em trabalhar na área da oncologia infantil começaram a revolucionar o atendimento que se dava às crianças com câncer.
Hoje, a maioria dos casos de câncer infantil é curável. Os resultados obtidos no Brasil equiparam-se aos dos melhores institutos de oncologia do mundo

14 fevereiro 2006

O olhar


Está presente em nossas mentes: a criança, muito mais que o adulto, nâo deveria ficar doente, sofrer e morrer. Mas a vida teima em nos mostrar o contrário: nossos pequenos adoecem, sofrem e também podem morrer "antes da hora". E quando o assunto é câncer, a emoção é ainda maior, envolve toda a família, amigos, conhecidos — e também aqueles que tinham sequer visto aquela criança.

08 fevereiro 2006

Câncer na infância

Quando falamos de câncer em algum parente querido, ou mesmo em apenas um conhecido, costumamos ter sentimentos profundos de dor e angústia. Imagine quando a pessoa doente é uma criança, um filho, um neto... Muitos pais se culpam, pensam que fizeram algo que pode ter provocado o aparecimento desta terrível doença, que poderia ter sido evitada de alguma maneira. A dor é imensa, sendo encarada por muitos como um castigo divino ou provação para os pais. Por que uma criança ou um adolescente, com toda sua inocência e uma vida inteira pela frente, com tantos planos e esperanças que os pais depositaram nelas, é vítima do câncer?

No interior das pessoas, esta doença ainda está ligada fortemente a outra palavra: a morte. Até a duas décadas atrás isto poderia ser uma grande verdade, mas isto já está começando a mudar com todos os avanços atuais que a medicina tem oferecido. E o desafio está apenas começando.